CLIc: uma janela aberta às mentalidades coletivas

A literary think tank

O Clube de leituras não obrigatórias

Fundado em 28 de Setembro de 1998

13 de agosto de 2013

Voto Consciente: Elenir

Caros Amigos,

Embora não sendo necessário justificar a alteração de meu voto para "Malagueta, Perus e Bacanaço", gostaria de esclarecer o porquê:


No Prosa e Verso, do sábado passado, dia 10, o jornalista André Luis Mansur, comentou em sua coluna, sob o título "Retrato irreverente e lírico de Luanda", o livro " Os Transparentes", de Ondjaki, escritor angolano, amigo de Agualusa, cuja obra admiro. Desse comentário, extraí a seguinte parte: "...Em alguns momentos, principalmente devido à linguagem cheia de ginga e detalhes pitorescos, lembra o nosso grande João Antônio, cujos personagens Malagueta, Perus e Bacanaço poderiam tranquilamente ser moradores do prédio do Largo da Maianga e transitar pelas mesas de sinuca dos "muquinfos" da capital de Angola". Ainda não adquiri o livro do Ondjaki, mas a referência  feita pelo colunista ao livro do João Antônio  atiçou minha curiosidade. Justificado?

Abraços.

Elenir incentivada a exercer sua real  escolha: "Malagueta, perus e bacanaço"

Tarde demais para cair na conversa na catedral desses e-leitores

Uma pequena parte dos 15 e-leitores vencedores de "o deus das pequenas coisas"

Resultados das votações:

1º turno:

Conversa na catedral: Mario Vargas Llosa - 9 votos;
O deus das pequenas coisas: Arundhati Roy - 8 votos;
Malagueta, perus e bacanaço: João Antonio - 8 votos.

2º turno:

O deus das pequenas coisas: Arundhati Roy - 15 votos;
Conversa na catedral: Mario Vargas Llosa - 10 votos;


Essa turma do bacanaço não é mole!


Um comentário:

  1. A gente gosta de perder pra ficar zoando todo mês na disputa.

    Malagueta

    ResponderExcluir

Prezado leitor, em função da publicação de spams no campo comentários, fomos obrigados a moderá-los. Seu comentário estará visível assim que pudermos lê-lo. Agradecemos a compreensão.