CLIc: uma janela aberta às mentalidades coletivas

A literary think tank

O Clube de leituras não obrigatórias

Fundado em 28 de Setembro de 1998

27 de março de 2013

Cinquenta Tons de Cinza: E L James


"Por ouvir pacientes comentarem e uma amiga/colega psicanalista ter "adorado", achando que "tem muitas interfaces com a psicanálise", que era "maravilhoso", "tudo a ver" etc, enfim, dizendo que eu "tinha" que ler, aventurei-me, não nego, com inicial preconceito, mas com muita boa vontade, a ler "50 tons de cinza"...




Resumo da ópera: não entendo porque tantas pessoas fanaticamente idolatrando tal obra por um lado e tampouco, por outro lado, tantos metendo o pau enfaticamente; nada mais se trata, em minha modestíssima concepção, claro, que uma versão anos 2000 do bom e velho "sabrina" que se vendia nas bancas de jornal, ou seja: pornografia e erotismo voltado sobretudo ao público-alvo feminino com baixíssimo valor literário - nada mais, nada menos.
Grande abraço a todos!"

FLR



3 comentários:

  1. Muito bem produzido esse vídeo...e muito legal esse blog.
    Sucessos

    http://esse-tal-de-cinquenta-tons-de-cinza.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Eu li a trilogia porque queria entender que livro era esse que virou uma "febre" e que vende tanto... E.L.James poderia ter escrito um único livro e nos pouparia de tantas páginas insossas... Enfim, a mulher é "mutilada" e "anulada" de sua vida. Para muitos o livro é excitante, como se fosse uma Cinderela dos tempos modernos, um faz de conta que povoa o coletivo. É mais triste do que ruim.

    ResponderExcluir
  3. Vi o trailer agora no blog. Este pode ser o caso do filme ser mais interessante que o livro. Talvez o diretor apresente uma releitura do filme com imagens que podem nos entreter mais que o livro. Não consegui viajar com o que li do livro.

    ResponderExcluir

Prezado leitor, em função da publicação de spams no campo comentários, fomos obrigados a moderá-los. Seu comentário estará visível assim que pudermos lê-lo. Agradecemos a compreensão.