CLIc: uma janela aberta às mentalidades coletivas

A literary think tank

O Clube de leituras não obrigatórias

Fundado em 28 de Setembro de 1998

9 de novembro de 2014

Bloomsday @ Mom Café!



@





Rua General Osório, 5 - São Domingos - Niterói _ RJ




16 de junho 2015

18:00h



Debate 

Homem comum, enfim: Anthony Burgess


Bloomsday 2014 @ Dom Café

Degustação de café



Os leitores CLIc que concluímos a leitura de Ulisses de James Joyce nos reuniremos para comemorar o terceiro Bloomsday após a façanha realizada. Estamos aguardando novos navegantes para a comemoração do Bloomsday deste ano. Você leu? Se anima? Ainda dá tempo!!! Navegar é o que conta nesta odisseia. Junte-se a nós!





Happy Bloomsday to the CLIc readers!!!

especially the newcomers who will celebrate the day for the first time this year. And, of course, for the old "CLIc" survivors who accomplished the reading of this literary odyssey in the previous years!!!




Sexo em Ulisses


9 comentários:

  1. Amigos muito especiais, simpáticos, acolhedores, as fotos ficaram ótimas. A foto dos LEITORES DE ULISSES ficou muito legal também. No próximo ano (16.06.2013), quem sabe possamos convidar PAUL MARCEL (o autor de EPIFANIAS) para compor conosco essa foto dos bravos leitores de James Joyce. Bom domingo a todos ................. Angela Ellias.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns aos heróis!!!
    Agora, alguma alma caridosa poderia postar uma resenha/crítica sobre Ulysses?
    Um resumo dessa história quilométrica?
    Uma luz para os pobres mortais?
    Alguma migalha que deixem cair à mesa?

    Está feito o desafio...!!!

    ResponderExcluir
  3. Olá anônimo! Acesse, por favor o link:

    http://nossoclubedeleituraicarai.blogspot.com.br/2012/02/ulisses-james-joyce.html

    ResponderExcluir
  4. Oi Evandro, fiquei curiosa depois de ter lido um ótimo texto em inglês enviado ao clube e quis ver essa resenha no link q. vc indicou, mas não consegui porque fala que só está aberto a leitores convidados. Vc poderia me convidar? Obrigada,

    ResponderExcluir
  5. 'Ulysses' é um dos livros que fez mal à humanidade, é só estilo. Não tem nada nesse livro. Se você o disseca, dá um tuíte.

    Paulo Coelho

    ResponderExcluir
  6. Degustação de Irish coffee? Oba! Estou dentro! Precisa ter lido o livro?

    ResponderExcluir
  7. James Joyce nunca ganhou um nobel de literatura e tem gente no Brasil que se sente injustiçado. Parem e pensem por que? É simples. A Fundação Nobel premia preferencialmente autores engajados que denunciam atrocidades sociais, política, injustiças e conflitos de grande relevância. Joyce era um linguista antes de qualquer defensor de causas. Quanto muito ele achava que se os jesuítas não tivessem posto os pés na Irlanda ela seria um lugar diferente do que ainda é hoje. Mas não passava disso. Se ele falasse sobre a rivalidade entre católicos e protestantes poderia até ganhar alguns pontos a favor. Mas ele limitou-se a ser sarcástico e irônico até mesmo sobre isso e desdenhar quem preferia ficar na retrograda Irlanda. Ele mesmo foi embora.

    A recente tradução de Ulisses ao português, a terceira, não muda nada para quem se esforçou para ler em joyceanês. Há quem diga que não passa de mais uma tentativa de enfiar goela abaixo um livro que é mais um fetiche que um livro a ser lido, mas nada posso dizer sobre nada, pois ainda estou lendo a edição original. As poucas vezes que abri, ao acaso, uma das traduções não gostei e sigo achando que vale apena o esforço de ler no original. Mas para quem não quer saber de esforço ler uma das três traduções já será um pé no esforço.

    James Joyce fez em Ulyssses e Finningan`s Wake o que os surrealistas sempre sonharam fazer mas não tinham talento. James Joyce é um surrealista e o resto é resto.

    Jeane

    ResponderExcluir
  8. Ulisses de James Joyce não é apenas um romance magistral, é um código místico. Alguns Cliceanos sinalizaram que participarão do próximo Encontro do Bloomsday em 2015, mas eu bem sei que a maioria só vai aparecer no dia de São Nunca; Sem problema! Continuaremos levando adiante a doutrina da palavra joyceana. Viva o mistério jocoso, etílico e irônico celebrado no templo labiríntico deste louco, ilegível e genial monstro da Literatura.

    ResponderExcluir

Prezado leitor, em função da publicação de spams no campo comentários, fomos obrigados a moderá-los. Seu comentário estará visível assim que pudermos lê-lo. Agradecemos a compreensão.