CLIc: uma janela aberta às mentalidades coletivas

A literary think tank

O Clube de leituras não obrigatórias

Fundado em 28 de Setembro de 1998

11 de maio de 2012


FELIZ...

Toda data especial é bonita e triste ao mesmo tempo. Bonita porque homenageia alguém / muitos alguéns - mães, pais, crianças. E é triste porque quem não tem a quem homenagear ou não pode ser homenageado fica meio à deriva desse barco.

A origem de tudo, a gente sabe, é o comércio, mas não impede que se faça o devido reconhecimento. Quero dizer com isso que gostaria de homenagear a todos os participantes do CLIC neste dia das mães: as próprias, com certeza, e também todos os demais, incluindo os homens, pais ou não. Na verdade eu gostaria de homenagear os filhos, que somos todos.


Sim, por que quantos sapos engolimos ao longo de nossa educação, quanta mágoa, injustiça, sofrimento não tivemos que vivenciar por uma criação por vezes muito austera ou quem sabe solta demais? Quanto não tivemos que gastar (e não me refiro apenas ao dindim) nos consultórios de analistas, em esforços diários de nos compreender melhor, de tentar mudar o que achamos que precisamos para evoluir como ser humano?

É preciso que se diga: mães e pais erram, erram muito, erram feio, e às vezes erram muito feio. É preciso também que se perdoe, que se supere e que se ame sobretudo assim. E que haja esforço e empenho para que os que são mães e pais cometam erros menos graves com seus filhos, deixando assim à sociedade, um mundo efetivamente melhor.

Feliz dia dos filhos para todos nós!

5 comentários:

  1. Muito bom,Rita! Parabén! Sobre o que diz, assino cada palavra. E confesso: tenho um desejo enorme de errar pouco, muito pouco,e amar muito e muito, mas que não tem?
    Bjs.
    Feliz Dia das Mães e dos FILHOS!

    ResponderExcluir
  2. É verdade Rita, pais erram, embora muitos errem por querer acertar. Fiquei um pouco apreensiva quando estava com o meu nos braços e não veio um manual de instrução, uma telefone de SAC para eventuais reclamações quer pelo "produto" quer pela inabilidade do responsável do "produto'. O fato e que 19 anos depois, concluo que aprendi com meus erros e com meus acertos de que toda relação é construída, não existe uma fórmula perfeita e pronta.

    ResponderExcluir
  3. Pais... melhor não tê-los! Mas, se não tê-los, como sabê-lo?
    rsrsrsrs... brincadeira!
    Pais e mães, tirando o que não presta, são ótimos. Mas, não sei bem por que, mas já repararam que no final de tudo quem se dá bem são os netos?
    Avós e netos, uma geração depois, parecem que estão imunes a esses conflitos.
    NB

    ResponderExcluir
  4. Cara Neide, é isso mesmo.Tudo é construído e sempre estamos em construção. É maravilhoso quando temos essa visão porque aí podemos melhorar e tornar tudo melhor. Elô, Mr. EPA e novaes/, obrigada pela participação sempre estimulante.

    ResponderExcluir

Prezado leitor, em função da publicação de spams no campo comentários, fomos obrigados a moderá-los. Seu comentário estará visível assim que pudermos lê-lo. Agradecemos a compreensão.