CLIc: uma janela aberta às mentalidades coletivas

A literary think tank

O Clube de leituras não obrigatórias

Fundado em 28 de Setembro de 1998

22 de abril de 2017

Livro: Memórias póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis e filme

Olá queridos!
Reproduzo o post do meu Blog Mar de Variedade. 
Esse foi o livro do mês do Clube de Leitura Icaraí. Gostei muito!

Sinopse: Brás Cubas, após a sua morte, faz uma retrospectiva de toda a sua vida com os leitores. 


Esse livro é um clássico da Literatura Brasileira. É o primeiro romance da fase realista de Machado de Assis. 
Ele costuma ser leitura obrigatória nas escolas e costuma cair no vestibular. Confesso que ler um livro dele na fase adulta, com mais maturidade, me trouxe grande prazer na leitura. 
Brás Cubas começa sua narrativa contando que faleceu com 64 anos, solteiro, com cerca de trezentos contos, o que era considerado rico. 
Ele foi um cara de família rica, portanto, não precisava trabalhar, mas buscava títulos. Teve algumas histórias de amor, mas seu grande amor foi Virgília. 
Embora a vida de Brás Cubas não tenha sido espetacular, Machado de Assis conseguiu fazer uma narrativa sobre a vida dele muito interessante. O narrador interage com o leitor o tempo todo. 
Na obra, percebemos as nuances de cada personagem. Conseguimos fazer uma análise de cada um.
O livro também é uma crítica à sociedade, pois mostra a classe burguesa em busca de títulos de nobreza, além de casamentos por interesse, traições, etc. 
É uma ótima leitura!
Recomendo!

Sobre o filme:
Ele pode ser encontrado no youtube. O protagonista é vivido na fase mais velha pelo Reginaldo Faria e, na fase mais jovem, por Petrônio Gontijo. Achei bem fiel ao livro, de forma mais resumida. Muito bom também! Recomendo!

4 comentários:

Prezado leitor, em função da publicação de spams no campo comentários, fomos obrigados a moderá-los. Seu comentário estará visível assim que pudermos lê-lo. Agradecemos a compreensão.