CLIc: uma janela aberta às mentalidades coletivas

A literary think tank

O Clube de leituras não obrigatórias

Fundado em 28 de Setembro de 1998

26 de dezembro de 2017

Os melhores livros de 2017, na opinião de participantes de clubes de leitura

Olá queridos!
Estou reproduzindo o post do meu blog Mar de Variedade. 
Como fiz no ano passado, convidei os meus colegas participantes de clubes de leitura para dizerem qual foi o livro favorito do ano. Difícil escolher um só, não?
Os convidados fazem parte dos seguintes clubes: Clube de Leitura Icaraí-CLIc, Clube de Leitura Leia Mulheres Niterói, Clube de Leitura O Livro de Areia. 
Vou começar dando uma "roubadinha", pois escolhi dois, embora tenha lido outros livros 5 estrelas. Foi um ano muito bom para mim como leitora.

Os meus escolhidos são:
Dois irmãos, do Milton Hatoum - Como já falei no post que está no link, gostei muito da escrita do autor. O livro é muito rico, cheio de reviravoltas. Conseguimos conhecer um pouco de Manaus da época em que se passa o livro. 


Travessuras da Menina Má, de Mário Vargas Llosa. Que livro envolvente! A gente realmente mergulha na história de amor de Ricardo e Lily ao longo de vários anos, com o cenário político da época como pano de fundo. Leitura incrível!


O Léo e a Joana escolheram Germinal , de Émile Zola, como melhor livro do ano. Tem post sobre ele no link.  

Hilário Francisconi escolheu "Breve Romance de Sonho, de Arthur Schnitzler, no qual Stanley Kubrick baseou-se para filmar, em 1999, "De Olhos Bem Fechados", parte da programação do Netflix. Trata-se de um romance "de personagem", característica em que o foco da narrativa concentra-se no fator psicológico do herói da trama. Em poucas palavras, Fridolin e Albertine (Tom Cruise e Nicole Kidman, no filme) são casados e confessam, um ao outro, suas pulsões inconscientes, trazendo à tona seus mais profundos recalques eróticos. Sigmund Freud, à época do lançamento do romance, reconheceu muito positivamente o trabalho do autor que, por sinal, também era médico. Vale a leitura e também assistir ao filme."


Eloisa Helena:  "Meu livro lido, do Clic, é uma revisitação constante . Trata-se da excelente obra de Carlos Rosa Moreira : A montanha, o mar, a cidade. 
São crônicas poéticas, verdadeiros cromos , quadros na parede de sua...de nossas almas. Difícil escolher só uma. Mas ...vamos lá! 
Em " Somos todos uns Prousts", lemos ... "Todas essas lembranças eram despertadas como se as notas do piano fossem a madeleine embebida no chá. ".... . Inesperadas madeleine são perigosas ", pps 131 e 136. 
Essas são frases construídas por sua imaginação , ao ouvir Allegro non troppo , do Concerto 1 de Tchaikovsky. Palavras que nos embalam sempre com poesia e instantes de sonhos."


Helene Camille também escolheu dois, como eu, mas ela deu colocações.

"1º lugar: Ponciá Vicêncio, de Conceição Evaristo
Gostei da escrita dela. Densa, forte, mas, ao mesmo tempo, leve, apesar da carga dramática que a narrativa trata. Uma prosa bem poética.



2º lugar: A mulher no corpo de Xamã – o feminino na religião e na medicina, de Barbara Tedlock.
Finalmente, finda a leitura de “A mulher no corpo de xamã: o feminino na religião e na medicina”, de Barbara Tedlock, sinto-me perdida sem saber por onde começar a falar desse livro. É sem dúvida um livro denso, dado o seu objetivo acadêmico. Aprendi muita coisa que jamais havia imaginado sobre o xamanismo, pois era totalmente vazia nesse assunto. Confesso que o academicismo me broxa um pouco, mas como antropóloga que ela é, não poderia fugir muito dessa estrutura, senão incorreria no erro de não ser levada a sério. Não posso deixar de dizer que gostaria de ter lido algo mais apaixonante, mais intenso. Mas reconheço que o livro cumpre seu objetivo descritivo e acadêmico. Precisamos em primeira instância de dados, depois é depois."

A Beth escolheu O Filho de Mil Homens, de Valter Hugo Mãe. "Pela sensibilidade da narrativa e pela riqueza de seus personagens que fogem ao padrão social estabelecido." Tem post sobre ele aqui


A Mariana Rio escolheu As boas Mulheres da China, de Xinran.

"Não foi o melhor livro que eu li na vida, mas certamente foi um dos  livros mais interessantes que tive o prazer de ler esse ano. Essa leitura foi feita dentro do projeto de Clube Leia Mulheres. A experiência de ler um livro como esse e discutir coletivamente foi, sem dúvida, o que me fez escolher ele como uma das minhas leituras preferidas. O tom jornalístico e as narrativas que, às vezes pareciam irreais de tão reais, fazem desse livro uma ótima escolha para quem deseja conhecer uma parte da China não explorada pela Literatura Ocidental, que ainda é marcada pela visão etnocêntrica desse grande país. Podemos discutir tantos assuntos, temas e visões, que até ficamos angustiados com a abundância de temas para serem debatidos. Não quero contar nenhuma história do livro por medo de prejudicar a experiência dos outros, mas, sem dúvida, uma das histórias mais marcantes foi a do terremoto. Nessa narrativa, vamos da solidariedade à miséria humana em poucas páginas. Por fim, acredito que esse livro, além de bem escrito, seja uma leitura com fundo social importantíssima, porque suas histórias são universais, sejam na China ou no Brasil. A violência contra a mulher está presente em todos os momentos da nossa vida. "

Eu também adorei esse livro. Tem post aqui

Para Evandro: "Gostei muito do livro indicado pelo Antônio para debate no Clube da Lua: Homo Deus, de Yuval Noah Harari. A partir das contribuições do pensamento mítico, passando pelo religioso e científico na construção da civilização humana e prolongando o fio da História com um pensamento filosófico muito interessante, contemporâneo, o autor estima o futuro da Humanidade como algo assombroso em termos de potência humana, considerando as possibilidades tecnológicas e a disponibilidade dos recursos naturais. Uma visão muito interessante sobre o que nos espera nos próximos 20, 50 e 100 anos com a ascensão da maior revolução de nossa espécie: o humanismo."


Para Antônio, o livro favorito do ano foi O Sol é para Todos, de Harper Lee. "Um belíssimo livro, uma história que aborda de forma muito forte a questão do racismo e da injustiça que se pratica motivada pelo preconceito e pela intolerância. Um livro inesquecível."


Tem post do livro aqui

Obrigada a todos que participaram!
E para vocês? Concordaram com nossas escolhas? Qual foi o seu livro favorito? Deixe sua opinião nos comentários.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezado leitor, em função da publicação de spams no campo comentários, fomos obrigados a moderá-los. Seu comentário estará visível assim que pudermos lê-lo. Agradecemos a compreensão.