CLIc: uma janela aberta às mentalidades coletivas

A literary think tank

O Clube de leituras não obrigatórias

Fundado em 28 de Setembro de 1998

13 de janeiro de 2017

Os melhores livros de 2016 na opinião de participantes de clubes de leitura

Olá queridos!
Estou reproduzindo o post do meu Blog Mar de Variedade. 
Esse é o último post do ano, então, tem que ser especial.
Convidei participantes de três clubes de leitura dos quais faço parte, para dizerem quais foram seus livros favoritos do ano. Falei que não precisava ser livro lido no clube, pois o objetivo é indicarmos livros especiais, para inspirarmos os leitores. Nem todos conseguiram escolher apenas um favorito, mas dá para entender, diante de tantos livros excelentes!

Eu já falei que o meu favorito do ano foi Frankenstein, de Mary Shelley: Apesar de ser um clássico do terror, a escrita da autora é poética. O livro me surpreendeu muito positivamente, por isso achei que cabia o primeiro lugar.



Vamos às opiniões dos meus colegas dos seguintes clubes:
Clube de leitura Icaraí- CLIc;
Clube de leitura Leia mulheres Niterói-RJ;
Clube de leitura - O livro de areia (grupo de leitura no whatsapp).

Evandro Paiva de Andrade - Moderador do Clube de leitura Icaraí- O Deserto dos Tártaros, de Dino Buzzati: "O deserto dos tártaros é uma extraordinária alegoria da existência humana cujo fundamento parece ser crer e esperançar, seja Canaã, Godot ou os Tártaros e, afinal, resignar-se perante o que se construiu ilusoriamente."



Léo Gomes - participante dos três clubes de leitura citados- O Deserto dos Tártarosde Dino Buzzati: "Camadas de interpretações, discurso fluido, histórias dentro da história. Um grande livro."

Antônio Rodrigues - Participante do Clube de leitura Icaraí e moderador do Clube de leitura O livro de areia- Quarto de Despejo, de Carolina Maria de Jesus: "'Quarto de Despejo' mexeu profundamente comigo. Esse rebuliço que um livro faz dentro de nós é o que importa ao final da leitura. Se um livro não buliu com nossas entranhas sentimentais, então não é digno de ser lembrado."



Ana Castelhano - Participante do Clube de leitura Icaraí-  Também elegeu Quarto de Despejo, de Carolina Maria de Jesus.

Inês Drummond - Participante do Clube de leitura Icaraí- Mulheres de Cinzas, do Mia Couto; Poemas escolhidos, do Mia Couto; Por enquanto agora, de Maria Christina Monteiro de Castro: "Bem, Mia Couto é maravilhoso. Sou uma perfeita Miete. Fala da dor e da beleza de existir. É sensível, poético... Por enquanto agora é dinâmico, engraçado, triste. Fala sobre Mulheres, família..."






Rose Pinto- Participante do Clube de leitura Icaraí- A Jangada de Pedra,  de José Saramago: "Quase uma fábula, A Jangada de Pedra narra a fictícia separação da península ibérica do continente. Contada através de um realismo mágico, a narração possui mais de uma voz narrativa e o narrador, muitas vezes, se coloca dentro do texto, estimulando várias reflexões. 
Traz personagens femininas de caráter forte, que tomam iniciativas e constroem seu destino.
Lírico do início ao fim, em muitos trechos a prosa se torna poesia."



Pastoral Americana, Philip Roth: "Tendo como personagem central um jovem judeu bonito, exemplar e bem sucedido - profissional e emocionalmente -, e perfeitamente ajustado e orgulhoso da sociedade norte-americana, mostra, no desenrolar do livro que 'tudo que é sólido se desmancha no ar'.
Narrativa fluida, onde tudo parece ser necessário à construção dos cenários e às características psicológicas dos personagens, traz como pano de fundo a política e a guerra do Vietnã, mas o que mais me impressionou foi a capacidade de aprofundar o comportamento dos personagens e mostrá-los sob os mais variados aspectos contraditórios."




Ceci Lohmann - Participante do Clube de leitura Icaraí- A Trégua, de Mário Benedetti.




Elenir Teixeira - Participante do Clube de leitura Icaraí- O Mendigo que sabia de cor os adágios de Erasmo de Rotterdam, de Evandro Affonso Ferreira: "Livro que considero excelente, opinião não compartilhada por todos, que o classificaram de deprimente, cansativo, entediante, chato etc.
Sim, deprimente, fala de criaturas miseráveis, alcoólatras, viventes em condições sub-humanas, sem casa, usando um tatame como teto, ou seja, vivendo num submundo, fedentinosos, desvalidos, patéticos e constrangedores. Contudo, mesmo vivendo à margem, sofrem, amam, se irmanam, têm lembranças, momentos de alegria, embora raros... E, no meio de todos eles, há um homem erudito, sofrido, com muitas cicatrizes na alma, que vagueia pelas ruas acompanhado pelos Adágios, de Erasmo de Rotterdam, os quais, segundo ele, são seus salmos, trazendo-os na memória, e pela infinita tristeza e solidão sofridas desde que sua amada o abandonou, há dez anos, deixando-lhe, apenas, um lacônico bilhete: 'Acabou-se. Adeus.' Mantendo a esperança de seu retorno, ele repete sua 'meta mântrica: Ela virá, eu sei.' Dizendo ainda: 'Amada aquela que levantou âncora jamais deixarei cair da memória: está tatuada em mim. Deveria ser contrário às leis da natureza abandonar crianças e poetas: somos frágeis demais.' Tudo isso, levou-me a conhecer melhor esses pobres indivíduos marginalizados, o submundo por eles habitado, emocionando-me. No livro, encontrei amor; poesia; ternura; erotismo; fraternidade; vida..." 





Solange Pinheiro-  Participante do Clube de leitura Icaraí- Panta Rei, de Luciano de Crescenzo.




Roberta Priscila - Participante do Clube de Leitura O livro de areia - O Último dos Canalhas, de Loretta Chase: "Um romance épico, empolgante, nem vulgar, nem sem sal, onde se percebe o poder real de uma mulher e de como ela pode mudar o maior de todos os cafajestes e ensinando o sentido do verdadeiro amor."



Midian Cruz- Participante do Clube de Leitura O livro de areia - Como eu era antes de você, da Jojo Moyes: "Sem dúvidas eu ameiiii 'Como eu era antes de você' de Jojo Moyes. É um romance de motivações e inspirações para seguir em frente. A vida é uma caixinha de surpresas que deve ser vivida a cada momento."




Geovanny Luz - Participante do Clube de Leitura Leia Mulheres Niterói-RJ -  A Revolução dos bichos, de George Orwell.



Janaina Soares (Nina) - Participante do Clube de Leitura Leia Mulheres Niterói-RJ- Os Irmãos Karamázov, de Fiódor Dostoiévski: "Primeiro porque o Dostoiévski é o meu escritor favorito. Sei que parece favoritismo, mas eu adoro o jeito com o qual ele escreve. Além disso, eu não imaginava rir tanto com os Karamázov e isso me surpreendeu. Acho que também foi o melhor livro que eu li esse ano porque, embora não tenha lido tanto (se comparado aos outros anos), fiquei feliz por ler um livro que requer mais atenção. Ele trata de vários assuntos, vai de drama familiar até religião, e me interessa ler livros que me façam refletir sobre vários tipos de assunto ao mesmo tempo...ou seja, livros mais complexos. Para quem nunca leu Dostoiévski, acho que pode ser um pouco cansativo no início, mas conheço pessoas que só leram um  e depois pegaram os Karamázov e se apaixonaram. Ah, eu também curti o livro porque os três irmãos são bem diferentes entre si, mas não me pareceu forçado ou estereotipado, sabe? Acho que cada um tem sua peculiaridade e te faz refletir sobre."



Mariana Rio - Moderadora do Clube de Leitura Leia Mulheres Niterói-RJ- Hibisco Roxo, da Chimamanda Ngozi Adichie:  "Hibisco Roxo foi o primeiro livro que li da autora, gostei pela forma calma e detalhista que ela construiu os personagens."



O livro do Cemitério, de Neil Gaiman: "Neil Gaiman é meu escritor preferido. Em O livro do cemitério, ele mistura terror com infantil de uma forma bem feita e cativante."



Laura Isabel- Moderadora do Clube de Leitura Leia Mulheres Niterói-RJ- Frankenstein, de Mary Shelley: "Dos que lemos juntos, Frankenstein foi o que mais me marcou, amei a escrita da Mary Shelley e como ela aborda a filosofia e a ciência de uma forma tão tocante."
Quem me dera ser onda, do Manuel Rui: "Se tiver que escolher o melhor livro do ano MESMO eu diria que foi 'Quem me dera ser onda', do Manuel Rui. É uma história muito delicada sobre infância num pano político bem pesado, cheio de metáforas bem construídas, mas que tu observa pelo olhar das crianças que querem ter um porco de estimação num apartamento. Fora o contexto cultural angolano, que é uma viagem muito legal de se fazer. É lindo, tocante, real, simplesmente amei. Li duas vezes, na verdade. Haha."


Fernanda Marsico - Participante do Clube de Leitura Leia Mulheres Niterói-RJ- Hibisco Roxo, da Chimamanda Ngozi Adichie: "Acho que o Hibisco Roxo foi o livro que mais mexeu comigo esse ano, me deu muito para refletir."



Agradeço aos queridos colegas por essa valiosa contribuição a esse post. Tenho certeza de que muitos leitores serão influenciados por essas ótimas indicações.
Desejo a todos um ano novo maravilhoso, com muita paz, saúde, amor e muitas leituras grandiosas!





4 comentários:

  1. Excelente idéia, Andreia! Parabéns pela matéria!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Evandro! Acho que várias pessoas vão pegar nossas dicas de leitura!

    ResponderExcluir
  3. PARABÉNS...Bem organizado e muito útil. BELA iniciativa!

    ResponderExcluir

Prezado leitor, em função da publicação de spams no campo comentários, fomos obrigados a moderá-los. Seu comentário estará visível assim que pudermos lê-lo. Agradecemos a compreensão.