CLIc: uma janela aberta às mentalidades coletivas

A literary think tank

O Clube de leituras não obrigatórias

Fundado em 28 de Setembro de 1998

5 de novembro de 2016

Vozes



Elenir


Noite de sombras,
noite de sussurros.
Luar fugindo,
desenhando imagens sobre ramos secos.

Vou caminhando... Trilha de sonhos,
ecos de sons de outrora.

A fazenda!...
Murmúrio de rios,
choro de carro de bois,
o engenho, canto áspero da moenda,
entre as palhas, suspiros de nós dois.

Sinos lentos, anúncio de partida.

Festa, a chegada de outro alguém.

Sapos-martelo martelando a noite,
trens de ferro sacudindo o dia.

Da Zefa, ouço o grito:
“Crianças, pra mesa, o armoço tá pronto!”
Feijão com arroz, batata frita,
temperos, amores, brinquedos, infância.

Que me importa o silêncio
se essas vozes me acompanham?
Água fresca me sacia e dissipa
o deserto que me envolve.

Seres, sons e cores habitam minha poesia.

Fonte


 Abraços para todos vocês, cujas vozes carinhosas são, também, um oásis para mim.
 Elenir


11 comentários:

  1. Isto é a poesia! Esplêndida, amiga querida!Ouças as vozes, os sussurros desse tempo.
    Elô

    ResponderExcluir
  2. Maravilha, Elenir, lembranças boas com poesia cheia de talento. Parabéns.
    Carlos Rosa.

    ResponderExcluir
  3. Obrigada, Carlos e Elô, cujas vozes ajudam-me a caminhar.
    Elenir

    ResponderExcluir
  4. Muito bom, Elenir. O tom memorial em sua poesia é sempre essa coisa boa de se ler e ouvir (assim como o Carlos, às vezes gosto de ler em voz alta).
    Um grande abraço do seu amigo Antonio.

    ResponderExcluir
  5. Obrigada, Antônio. Seu cajueiro, ou seu pé de caju, fez-me lembrar as vozes de minha infância e trazê-las, de volta, ao nosso blog. Abraços.
    Elenir

    ResponderExcluir
  6. Elenir, mais uma vez você nos brinda com um belo poema. "Que me importa o silêncio / se essas vozes me acompanham?" são versos que definem o próprio ser poeta. Excelente. "Seres, sons e cores habitam minha poesia."... Pois sua poesia é uma bela casa para estes seres, estes sons e suas cores. Parabéns.

    ResponderExcluir
  7. LINDO, LINDO, LINDO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Fiquei emocionada!
    Seu poema é todo .....Você.
    Parabéns e, Obrigada!
    Beijinhos ternos e já cheios de saudades,
    Vera.

    ResponderExcluir
  8. Obrigada, Vera!. Sentiremos sua falta, amiga, mas entendo que sua imensa ternura tem que ser repartida entre nós, do Clube, e sua família. Ainda bem que no seu grande coração há lugar para todos. Desejo-lhe boa viagem. Agradeço, também, as palavras incentivadoras do Novaes. Caro amigo.
    Elenir

    ResponderExcluir
  9. Elenir, ler e reler suas poesias é sempre um perfume que alegra o dia. Continue escrevendo e nos perfumando.

    ResponderExcluir
  10. Obrigada, Rita! Só, agora, estou observando que o último verso de Vozes é igual ao penúltimo de Pela minha janela. Pela minha janela entram sons seres, aromas e cores (penúltimo).
    Seres, sons e cores habitam minha poesia (último de Vozes).
    Na verdade, entraram pela janela e foram habitar minha poesia. Mas vou dar um jeito de alterar. Difícil é a escolha.
    Elenir

    ResponderExcluir
  11. Que bela voz a dessa Senhorinha!

    ResponderExcluir

Prezado leitor, em função da publicação de spams no campo comentários, fomos obrigados a moderá-los. Seu comentário estará visível assim que pudermos lê-lo. Agradecemos a compreensão.