CLIc: uma janela aberta às mentalidades coletivas

A literary think tank

O Clube de leituras não obrigatórias

Fundado em 28 de Setembro de 1998

4 de julho de 2016

PERMANECER: Clara Nascimento

                                         


                       
Permear e ser.
Estar presente porque nada é,
Apenas está.
Permanecer novidade
Encantada
Enigmática
A mesma e diferente em meu estado
pluridades.
A mesma parabólica do imaginário
Concreto
Do dia a dia de deleites simples e necessários.
Permanecer eu mesma 
sem mesmices inventadas.
Apenas nuances de sombra e luz
Que espalho em pinceladas sem
Vontades predestinadas.

Perguntas que não cessam,
Respostas que não vêm,
Mas nem precisam.
O existir das perguntas que me faz
Te entranhar  mais,
Te estranhar menos.
Meu holograma de emoções;
Meu vento morno antes da tormenta,
Presságio certeiro de tempo que muda.
E não muda tudo sempre?

Meteoros raivosos e desordenados me arrancam a rota
E tentam com sucesso me tirar a beleza do verso;
São as rajadas da vida a apagar tudo de novo.
Viver é um apunhalar e acarinhar.
Sábia é a escolha de aprender nos primeiros compassos,
Regozijar nos segundos.
A tristeza nos versos é agora minha verdade.
Mas o que seria da alegria sem a tristeza vigilante?
Uma alma penada sem salvação,
Ou um grito sufocado dentro do coração?
Quando amo,
O coração cresce por dentro,
Anseia pela dança das mãos.
Sem isso,
Sou bicho sem cio,
Nada falo
Nem crio.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezado leitor, em função da publicação de spams no campo comentários, fomos obrigados a moderá-los. Seu comentário estará visível assim que pudermos lê-lo. Agradecemos a compreensão.