CLIc: uma janela aberta às mentalidades coletivas

A literary think tank

O Clube de leituras não obrigatórias

Fundado em 28 de Setembro de 1998

28 de junho de 2016

Livro: A eternidade e o desejo, de Inês Pedrosa

Olá queridos!
Segue o post que publiquei no meu blog Mar de variedade.

Esse foi o livro do mês do Clube de Leitura Icaraí. Gostei muito da leitura!

Sinopse: "Clara é uma jovem professora portuguesa que decide voltar a Salvador anos após uma terrível experiência na cidade: ao tentar salvar das balas o homem que amava, levou um tiro que a deixou cega.
Regressa ao Brasil para seguir as pegadas de padre Antônio Vieira, buscando conforto e inspiração em seus sermões, ao mesmo tempo que relembra o passado e começa, lentamente, a mergulhar no sincretismo religioso baiano. Na viagem, é acompanhada por Sebastião, amigo que lhe empresta a visão das coisas e das cores, e que não pode viver sem ela, apesar de não ser correspondido em sua paixão.
Guiando-se pelos textos sacros, inspirada pela força sensual de Salvador e seus contrastes, Clara irá reencontrar um caminho para a vida. E, acima de tudo, descobrir um novo significado para o amor e o desejo."



A discussão sobre o livro foi interessante, pois houve uma diversidade de opiniões. Alguns gostaram muito, como foi o meu caso, outros acharam a leitura difícil, enquanto alguns se encantaram apenas com as passagens de Sermões do Padre Antonio Vieira.
Eu achei o livro belíssimo, de fácil leitura e compreensão.
O livro é dividido em duas partes: 1- Eternidade; 2- Desejo.

Na primeira parte, a Clara está em busca de respostas para o que aconteceu com ela no passado. Ela perdeu um amor e ficou cega. Ela resolve seguir uma excursão, em que o pretexto da viagem é o itinerário do Padre Antonio Vieira. 
A Clara é acompanhada por Sebastião, amigo que é apaixonado por ela, mas não é correspondido. 
O livro ora é narrado por Clara, ora por Sebastião. As falas são intercaladas com passagens dos Sermões do Padre Antonio Vieira. Cada uma dessas passagens tem relação com o que está acontecendo com a protagonista e o seu amigo. 
A escrita da autora é muito bonita e poética.
As narrativas do Sebastião são pura poesia e declarações de amor para a sua amada, Clara. 
Uma fala do Sebastião que achei muito bonita é essa, em que ele fala enquanto a Clara está dormindo:

"...quero que o lume dos meus olhos derreta a porta do teu coração, quero que os meus olhos acendam os teus, dou-te os meus olhos, e dentro deles o rio da minha sede, um rio curvo, cheio, como o teu corpo, cegaria para todo o sempre por ti, Clara, para ficar às escuras dentro de ti." (p. 47)

A Clara vê o mundo através do olhar do Sebastião, o que também é interessante e poético.
Nessa parte, a Clara conhece e se encanta pelo sincretismo religioso baiano. 

Na segunda parte, a Clara já encontrou algumas respostas, então começa a parte do Desejo. 

Não posso contar muito para não dar spoiler para quem ainda não leu o livro, mas acho que é uma leitura que vale a pena, tanto pela história, quanto pela escrita poética da autora. Além disso, aprendemos um pouco mais sobre a Bahia e sobre o Padre Antonio Vieira. 



Recomendo!

6 comentários:

  1. Obrigado, Andreia, por trazer novas luzes para uma melhor compreensão do livro.

    ResponderExcluir
  2. Por nada! Cada um com sua interpretação do livro, Evandro, o que é enriquecedor.

    ResponderExcluir
  3. onde foi realizado o encontro? estive na livraria e ela estava fechada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sérgio! As reuniões estão acontecendo na varanda da UFF, nas terceiras quintas-feiras do mês, às 19h.

      Excluir
  4. Respostas
    1. Fica na área externa, perto da bilheteria do cinema. Estamos fazendo na parte da exposição. Quando você for, pergunte aos seguranças.

      Excluir

Prezado leitor, em função da publicação de spams no campo comentários, fomos obrigados a moderá-los. Seu comentário estará visível assim que pudermos lê-lo. Agradecemos a compreensão.