CLIc: uma janela aberta às mentalidades coletivas

A literary think tank

O Clube de leituras não obrigatórias

Fundado em 28 de Setembro de 1998

2 de abril de 2016

"O lado bom da vida" no Clube de Leitura Jovem

Queridos amigos, lendo o livro "Arte como Terapia", de Alain de Botton e John Armstrong, encontrei uma foto de John Constable, intitulada Estudo de cirros: Um céu azul, com nuvens em profusão, de várias cores e formas diversas e, sob ele, o seguinte texto:

"Os estudos de nuvens de John Constable nos convidam a contemplar, com muito mais atenção do que o normal, as formas e texturas próprias de cada nuvem,  a observar as variações de cor e a maneira como se agrupam. A arte reduz a complexidade e ajuda a nos concentrarmos, mesmo que por pouco tempo, nos aspectos mais significativos. Quando o artista fez os seus estudos das nuvens, a intenção não era que nos interessássemos por meteorologia. Não se trata da natureza exata de um cúmulo-nimbo. O que ele queria era intensificar o significado emocional do espetáculo silencioso que se desenrola diariamente acima de nossas cabeças, aproximando-o de nós e incentivando-nos a lhe conceder a posição  central que merece".

Realmente, ao contemplarmos o céu e as nuvens, admirando a beleza das cores e das formas, tão distantes da agitação de nossas vidas, entregamo-nos mentalmente a elas e nos sentimos, por alguns momentos, aliviados de nossas preocupações. 
Confirma-se, pois, o dizer de Ferreira Gullar. Ou de Fernando Pessoa?
"A arte existe porque a vida só não basta".
 Beijos.
Elenir





"Tudo o que posso lhe oferecer é meu amor, minha bondade e o relacionamento que tenho com você."





"Eu prefiro o Paraíso, isto é, prefiro o amor, a paz, a consciência limpa, mesmo que esta decisão aparentemente não favoreça ter o que tanto desejo. "






Mensagem da Elenir

Amigos, caiu-me nas mãos a excelente revista Vida Simples, cujo texto intitulado "Veja o lado bom da vida", fez-me pensar que ainda é tempo de aprender a viver.

Selecionei alguns parágrafos:

"Perceber os momentos de beleza e magia no dia a dia é essencial para ser feliz  com você mesmo e com o mundo. É reconhecer o que é verdadeiramente perfeito em sua vida." 

"Para ser feliz e ir ao encontro dos momentos mágicos  e perfeitos, o melhor que temos a fazer é nos tirar, junto com nossos pesos e reclamações, de nossa própria frente. Dar licença para o inesperado chegar, dar boas-vindas ao não programado."

"De uma certa forma, temos de estar livres do peso do nosso angustiado mundo interno para que nossa criança,ou estado de puro ser possa surgir. Mas porque será que somos tão apaixonados pela perfeição? Por que ela é uma meta?."

E assim, com essas perguntas e colocações, a autora, Liane Alves, leva-nos a refletir e a tentar ver a vida de outra forma. Diz ela que acreditava que só seria  amada se fosse perfeita. Hoje sabe que os relacionamentos não têm nada a ver com a perfeição. E, assim por diante.

Gostei e sentí vontade de compartilhar com vocês.

Abraços.



É bom ler livros que foram filmados para a gente constatar o quanto Holywood fantasia!



O Manifesto

da The Cloud Appreciation Society


............

Acreditamos que as nuvens vêm sendo injustamente caluniadas e que a vida sem elas seria imensamente mais pobre. 

Achamos que as nuvens são a poesia da Natureza, e o mais igualitário dos espetáculos por ela proporcionados, já que todos podem desfrutar de uma visão fantástica das nuvens.
 

Comprometemo-nos a combater a "mentalidade céu-azul" sempre que a encontrarmos. A vida seria tediosa se tivéssemos de encarar - dia após dia - a monotonia de um céu sem nuvens.
 

Procuramos lembrar às pessoas que as nuvens são expressões de estados de espírito da atmosfera e podem ser lidas da mesma forma que as expressões no rosto de alguém.
 

Acreditamos que as nuvens são para os sonhadores e que sua contemplação é benéfica para a alma. Na realidade, todos os que refletem sobre as formas que elas abrigam economizarão na conta do psicanalista.
 Assim, dizemos a todos os que se dispõem a escutar:

Ergam os olhos e maravilhem-se com a beleza efêmera, e levem sua vida com a cabeça nas nuvens.

(Guia do Observador de Nuvens, de Gavin Pretor-Pinney - Editora Intrínseca)





"Sabe, costumava pensar que você era a melhor coisa que me aconteceu mas acho agora que talvez tenha sido a pior e sinto muito por já ter te conhecido"

"A vida raramente te dá momentos como esse, e é um pecado não aproveitá-los."

"Eu te amo. Soube no momento que te conheci. Lamento ter levado tanto tempo pra entender, apenas estava emperrado"

“Se as nuvens estão bloqueando o sol, sempre tento ver aquela luz por trás delas, o lado bom das coisas, e lembro de continuar tentando.”

"Eu ainda o amo, do meu jeito maluco, mas amo."

"Quem disse que você não pode ser feliz?"

"A maioria das pessoas perdeu a habilidade de ver o lado bom das coisas."




— Eu preciso de você, Pat Peoples, eu preciso de você para caralho.
Então, ela começa a chorar lágrimas quentes sobre minha pele
enquanto beija meu pescoço e funga suavemente.
É estranho ouvi-la dizer aquilo, tão distante do “eu amo você” de uma mulher comum e,
no entanto, provavelmente mais verdadeiro.
Dá uma sensação boa ter Tiffany perto de mim, e eu me lembro do que minha mãe disse quando tentei me livrar de minha amiga ao pedir que ela saísse para jantar comigo.
Minha mãe disse: “Você precisa de amigos, Pat.
Todo mundo precisa.”
Lembro também que Tiffany mentiu para mim durante várias semanas;
me lembro da história terrível que Ronnie me contou sobre a demissão da Tiffany
e o que ela admitiu em sua carta mais recente; eu me lembro de quão bizarra tem sido
a minha amizade com ela — mas então lembro que ninguém além da Tiffany poderia realmente chegar perto de entender como eu me sinto depois de ter perdido Nikki para sempre.
Lembro que o tempo separados finalmente acabou, e que, embora Nikki tenha ido embora para sempre, eu ainda tenho uma mulher em meus braços que sofreu muito e precisa desesperadamente
acreditar que é linda outra vez.
Em meus braços está uma mulher que me deu uma Tabela de Nuvens do Observador do Céu,
uma mulher que sabe todos os meus segredos, uma mulher que sabe quão problemática é a minha mente, quantos comprimidos eu tomo, e que ainda assim permite que eu a abrace.
Há algo de honesto em tudo isso, e eu não consigo imaginar nenhuma outra mulher deitada comigo
no meio de um campo de futebol congelado, no meio de uma tempestade de neve,
até impossivelmente esperando uma nuvem soltar-se de um nimbo-estrato.
Nikki não teria feito isso por mim, nem mesmo em seus melhores dias.
Então puxo Tiffany mais para perto,
beijo o ponto rígido entre suas sobrancelhas perfeitamente bem-feitas e,
depois de inspirar profundamente, digo:
— Acho que também preciso de você.





O encontro de abril do Clube de Leitura Jovem traz um livro que foi adaptado com sucesso para o cinema em 2013: O lado bom da vida, de Matthew Quick. A obra segue a história de Pat, um homem que busca restabelecer sua vida após uma internação psiquiátrica. O evento ocorrerá no próximo dia 30, a partir das 18h, na Livraria Icaraí (Rua Miguel de Frias, 9, em Niterói), com entrada gratuita.




O livro é narrado por Pat Peoples, o protagonista da história. Pat acaba de sair de uma instituição psiquiátrica, mas não se lembra de quanto tempo passou lá ou o que o levou à internação. Ainda frágil, ele tenta restabelecer seus relacionamentos com a família, amigos e, principalmente Nikki, sua esposa, que se afastou dele. Com todos esses desafios para voltar à vida anterior à crise, Pat busca não se deixar abater pelas dificuldades e procura olhar sempre o lado positivo da vida.





Hemingway mentiu



Você precisa fazer tudo o que pode e se se mantiver positivo, você terá uma chance.

O tempo cura todas as feridas, pelo menos a gente espera que sim.





Praticando ser gentil ao invés de querer ter razão.


Um comentário:

  1. Hemingway vasculha nossas mais profundas verdades.

    ResponderExcluir

Prezado leitor, em função da publicação de spams no campo comentários, fomos obrigados a moderá-los. Seu comentário estará visível assim que pudermos lê-lo. Agradecemos a compreensão.