CLIc: uma janela aberta às mentalidades coletivas

A literary think tank

O Clube de leituras não obrigatórias

Fundado em 28 de Setembro de 1998

23 de fevereiro de 2016

O Poder do Agora: Eckhart Tolle

Os seres humanos têm vivido enredados pelo sofrimento por séculos, desde que caíram do estado de graça, penetraram no domínio do tempo e da mente, e perderam a percepção do Ser.


O prazer sempre se origina de alguma coisa externa a nós, ao passo que a alegria nasce do nosso interior... O amor verdadeiro não permite que você sofra. Como poderia? Não se transforma em ódio de repente, assim como a verdadeira alegria não se transforma em sofrimento. Antes de atingirmos a iluminação, antes mesmo de nos libertarmos de nossas mentes, podemos ter lampejos de alegria autêntica, de um amor verdadeiro ou de uma profunda paz interior, tranquila mas intensamente viva. Esses são aspectos da nossa verdadeira natureza, em geral obscurecida pela mente. Mesmo dentro de uma relação 'normal' de dependência, é possível haver momentos em que podemos sentir a presença de algo genuíno, incorruptível. Mas serão somente lampejos, a serem logo encobertos pela interferência da mente. Você poderá ficar com a impressão de que teve alguma coisa muito valiosa mas a perdeu, ou a sua mente pode lhe convencer de que tudo não passou de uma ilusão. A verdade é que não foi uma ilusão e você também não perdeu nada. Esse algo valioso é parte de seu estado natural - pode estar encoberto mas nunca ser destruído pela mente. Mesmo quando o céu está totalmente coberto, o sol não desapareceu. Ainda está lá, por trás das nuvens. 


O Ser está vivo!


"Deus está morto. Deus continua morto. E nós o matamos...” (Nietzsche)


"ATENÇÃO

O Mundo não muda quando mudamos de figurino, de maquilagem e de gosto musical, vestindo coisas mais alegres e adotando cantores mais "pra cima".

Não muda quando decidimos dizer que está tudo bem pra que nada nos incomode ao longo de mais um dia.


Não muda quando dizemos EU ME AMO vinte quatro horas por dia como um mantra de narcisismo pra nos proteger do auto-conhecimento, que é sempre doloroso.


Não muda quando tomamos mais um Lexotan, senão temporariamente. A ansiedade volta, e no fundo dela pode haver alguma verdade que estamos querendo recalcar.


PORTANTO: Qualquer livro de auto-ajuda vai te dizer tudo isso aí ou variantes e, se você os lê compulsivamente, um atrás do outro, e ainda não percebeu isso, precisa DESPERTAR URGENTEMENTE."


(Chico Lopes)





Um comentário:

  1. Many people mistake their busy thoughts as "themselves".

    Nicolas Cole, Writer, Marketing Consultant, Artist

    ResponderExcluir

Prezado leitor, em função da publicação de spams no campo comentários, fomos obrigados a moderá-los. Seu comentário estará visível assim que pudermos lê-lo. Agradecemos a compreensão.