CLIc: uma janela aberta às mentalidades coletivas

A literary think tank

O Clube de leituras não obrigatórias

Fundado em 28 de Setembro de 1998

25 de fevereiro de 2016

Doce Canção: Elenir Teixeira

(Para Anna,minha neta,aos cinco anos. Morou dez em Minas)





Eu vi uma estrelinha nova

piscar pra mim lá no céu,

de ti trazia notícias,

desfiando um carretel.


Disse que tu cresces linda,

que já sabes escrever,

e mais coisas disse ainda

que só me deram prazer.


Que tu tens em Lambarí

um amor de cachorrinho,

que é bonito e até sorri

e que se chama Floquinho.


Falou dos teus amiguinhos,

da Lú, Marcelo e Gabi,

que também são bonitinhos

e do bem que querem a ti.


Depois de muito falar,

a estrelinha se calou.

Sono, falei a pensar,

já foi dormir e apagou.


Tudo o que ela me contou 

ouvi com meu coração,

e esses versos que te dou

são   minha “Doce canção”.


2 comentários:

Prezado leitor, em função da publicação de spams no campo comentários, fomos obrigados a moderá-los. Seu comentário estará visível assim que pudermos lê-lo. Agradecemos a compreensão.