CLIc: uma janela aberta às mentalidades coletivas

A literary think tank

O Clube de leituras não obrigatórias

Fundado em 28 de Setembro de 1998

13 de fevereiro de 2016

A descoberta do Amor: Elenir



Ele teria uns 11 anos, quando me perguntou: "Vovó, como a gente sabe que está amando?"


Como vou dizer-lhe? pensei. E, por fim, encontrei a melhor forma. Querida, disse-lhe, você própria vai descobrir. 


Ouça-me.




O dia acordou tão leve
uma brisa sopra mansa
e os pássaros cantam mais.
Se espalha no ar um perfume
de jasmins e manacás.
As nuvens correm ligeiras
num brinquedo de pegar.
O rei sol tão generoso
vai surgindo atrás dos morros
para nos trazer calor.
Vejo as crianças brincando
e as vovós com terço orando
pela paz e pelo amor.
Brilha um brilho diferente
nos olhos de toda gente
que se abraça, fala e ri.
Ouço acordes bem tênues
e não sei de onde eles vêm.
Paro, penso e me pergunto:
por que a manhã diferente?
E uma voz me diz suave
do fundo do coração:
"Para que pensar, não penses,
vive e goza este momento
que te faz ver diferente
e depressa há de passar.
Pois se o mundo está cantando
e há luz no teu olhar,
está claro, muito claro,
descobriste o que é amar.



Lembranças...Deu-me vontade de compartilhá-las com vocês.

Ela hoje é uma jovem senhora e já me deu dois bisnetinhos.

Abraços para vocês.






2 comentários:

  1. ¿Y tú, cuando descubrió el amor? ¿Y cuántas veces tienen los redescobristes? - Antonino

    ResponderExcluir

Prezado leitor, em função da publicação de spams no campo comentários, fomos obrigados a moderá-los. Seu comentário estará visível assim que pudermos lê-lo. Agradecemos a compreensão.