CLIc: uma janela aberta às mentalidades coletivas

A literary think tank

O Clube de leituras não obrigatórias

Fundado em 28 de Setembro de 1998

24 de novembro de 2014

Clube Jovem - Divergente: Veronica Roth







Divergente: aventura no Clube de Leitura Jovem

O Clube de Leitura Jovem debate nesta quinta feira o best-seller Divergente, de Veronica Roth, adaptado no início deste ano para o cinema. O evento, que reúne jovens e adolescentes amantes da literatura, ocorre no dia 27, às 18h, na Livraria Icaraí (Rua Miguel de Frias, 9, em Niterói). A entrada é gratuita.
Em um futuro distópico, toda a sociedade é dividida em cinco facções. Cada facção valoriza uma característica especial do indivíduo, como o altruísmo, a amizade, a coragem, a sinceridade e a inteligência. O teste de aptidão é feito aos 16 anos, para ajudar o indivíduo a escolher a qual desses grupos fará parte. A protagonista Beatrice “Tris” Prior, porém, tem uma surpresa na hora do teste: ela é uma divergente, ou seja, tem aptidão para mais de uma facção. Em uma sociedade extremamente dividida e controlada, ser divergente é por em risco o sistema estabelecido, e Tris corre perigo por sua condição, que deve manter em segredo para salvar sua vida. Parte de uma trilogia, Divergente aborda termos complexos como identidade, medo e autoritarismo, em uma narrativa cheia de aventura, suspense e romance.



Para a maior parte das pessoas, não é difícil aprender, encontrar uma linha de pensamento que funcione e seguir por ela. Mas nossa mente move-se em dezenas de direções diferentes. Não podemos ficar confinados a uma única maneira de pensar e isso apavora nossos líderes. Isso significa que não podemos  ser controlados. E significa também que não importa o que eles façam, nós sempre causaremos problemas para eles.

Não sou da Abnegação!

Não sou da Audácia!

Eu sou Divergente!

E não posso ser controlado!



A paisagem do medo


Quero ser corajoso e  altruista e esperto e bondoso e honesto...

eu me esforço continuamente para ser bondoso.




Se não posso estar com ela, o mínimo que posso fazer é agir como ela de vez em quando. 

Aqueles que desejam o poder e o alcançam, vivem com medo de perdê-lo.

A razão humana é capaz de justificar qualquer mal. É por isso que não devemos depender dela. 

Valorizar o conhecimento acima de todas as coisas provoca uma sede de poder que leva o ser humano a lugares sombrios e vazios. 



FACÇÃO ANTES DO SANGUE


ESCOLHA:

PERMANECER COM SUA FAMÍLIA

OU

SER QUEM VOCÊ É


NÃO PODE TER OS DOIS


Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções - Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição - e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto. A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é. E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que poderá ter desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.




Uma escolha decide quem são seus amigos

Uma escolha define suas crenças

Uma escolha pode te transformar

Apesar da divergência na hora da escolha, escolhemos Divergente, de V. Roth


O futuro pertence àqueles que sabem qual é o seu lugar.

"Everything runs so smoothly, everything is so well regulated, everyone is well fed and happy, and each one knows his task as in a anthill." (Dostoiévski)






A Reunião de novembro será 27/11/2014, quinta feira, às 18:00h.

Livraria Icaraí: Rua Miguel de Frias, 9, anexo - Icaraí, Niterói/RJ



2 comentários:

  1. O interessante com a história deste livro é que a gente descobre porque os jovens sabem escolher melhor do que nós, adultos, com todo o conhecimento e maior experiência que possamos ter. O tempo nos afasta da originalidade necessária que move o universo, usamos a palavra prudência vezes demais para ocultar, na verdade, a nossa covardia perante decisões que realmente importam em nossa vida.

    ResponderExcluir
  2. As facções lembram o sistema de castas hindus.

    ResponderExcluir

Prezado leitor, em função da publicação de spams no campo comentários, fomos obrigados a moderá-los. Seu comentário estará visível assim que pudermos lê-lo. Agradecemos a compreensão.