CLIc: uma janela aberta às mentalidades coletivas

A literary think tank

O Clube de leituras não obrigatórias

Fundado em 28 de Setembro de 1998

15 de novembro de 2013

Embriaguez: Geórgia


Caros amigos octogenários, ou quase, ou, simplesmente, jovens companheiros de estrada ainda não maltratados pelo Tempo,
 
Vamos embriagar-nos neste feriado? 
 
 

"E preciso estar sempre embriagado. Eis tudo: é a única questão. Para não sentirdes o horrível fardo do Tempo que rompe os vossos ombros e vos inclina para o chão, é preciso embriagar-vos sem trégua. 
 
Mas de quê? De vinho, de poesia ou de virtude, á vossa maneira. Mas embriagai-vos. E se, alguma vez, nos degraus de um palácio, sobre a grama verde de um precipício, na  solidão  morna do vosso quarto, vós acordardes, a embriaguez já diminuída ou desaparecida, perguntai ao vento, à onda, à estrela, ao pássaro, ao relógio, a tudo que foge, a tudo que geme, a tudo que anda, a tudo que canta, a tudo que fala, perguntai que horas são: e o vento, a onda, a estrela, o pássaro, o relógio, responder-vos-ão: "É hora de embriagar-vos! Para não serdes os escravos martirizados do Tempo, embriagai-vos, embriagai-vos sem cessar! De vinho, de poesia ou de virtude, à vossa maneira."
 












 Charles Baudelaire

 
Meio tonta de vinho e poesia, sem nenhuma virtude, admito, proponho um brinde à nossa AMIZADE!
 
Beijos republicanos.
 
 

3 comentários:

  1. Adorei essa narrativa embebida de velocidade que até fiquei tonta. Povo, embriaguemo-nos!

    ResponderExcluir
  2. Querida Helene, que bom você também ter gostado desse texto de Baudelaire, a meu ver, excelente. Estranhei foi a postagem como feita por Geórgia, pois enviei como Elenir. Não havia razão para usar pseudônimo. Por isso, concluí que, talvez, não fosse o enviado por mim, através de e-mail, ao CLIC. Quanto ao endereço "noreply........." cuja tradução eu sabia, não entendia era o porquê de seu uso, Rita, gentilmente, esclareceu-me. Entendo, ainda, que, sem resposta, o bate-papo é evitado. Mas, o que interessa é que você gostou, embriagou-se de vinho, ou de poesia, e, como é de seu feitio, generosamente retornou. Obrigada, querida. Abraços saudosos. Elenir

    ResponderExcluir
  3. Helene, querida, somente agora, lendo melhor o e-mail da Rita, é que cheguei a este blog. Antes, só tinha lido seu comentário no e-mail enviado ao grupo e na página Social. Custei a entender, não é? Penso que a proximidade dos oitenta está me deixando confusa. Ou ainda estarei embriagada? O assunto rendeu, mas Rita, com sua boa vontade, esclareceu-me completamente. Beijos.
    Elenir

    ResponderExcluir

Prezado leitor, em função da publicação de spams no campo comentários, fomos obrigados a moderá-los. Seu comentário estará visível assim que pudermos lê-lo. Agradecemos a compreensão.