CLIc: uma janela aberta às mentalidades coletivas

A literary think tank

O Clube de leituras não obrigatórias

Fundado em 28 de Setembro de 1998

21 de dezembro de 2014

Em Junho de 2015, no CLIc-Rio - O jogo da amarelinha: Julio Cortázar

"Andávamos sem nos procurar, mas sabendo sempre que andávamos para nos encontrar" 

 Cortázar em 1970 no deserto de Zabriskie Point,
Death Valley (EUA), 
cenário do filme de Michelangelo Antonioni

Foto: Rose T

 Enfim leremos "O jogo da amarelinha" de Julio Cortázar, mas será no CLIc-Rio. 




 Amarelinha

Vejo sulcos na calçada...
Eles me fazem lembrar
a amarelinha da infância,
a casquinha de banana
caminhando à minha frente
e eu feito um saci branquinho
saltando em uma perna só.
Equilibrista, então era,
cheia de graça a pular,
e a gurizada gritando:
"Cuidado que vai pisar!"

Trago sulcos na minha alma...
Estes não pude evitar!
Pisei em todas as linhas
que encontrei ao caminhar.
Já não mais tinha equilíbrio
para delas me afastar,
e nem havia guris
gritando pra me alertar!

Beijos.

Elenir


3 comentários:

  1. Elenir , trouxe REFLEXÃO, poesia, para nosso domingo.ADOREI!
    Elô (Helena, no Face)

    ResponderExcluir
  2. Nossa, Elenir, parece que estou me vendo quando criança...
    Lindo o que você escreveu.
    Parabéns, mais uma vez.
    Beijinhos ternos lusitanos.
    Vera Lucia Schubnell Freire.

    ResponderExcluir
  3. Estou na página 233 de "O ano da morte de Ricardo Reis" e eis que Saramago me traz à lembrança a querida Elenir: "Algumas crianças brincavam ao pé-coxinho, saltando sobre um desenho traçado a giz no chão, de casa em casa, todas com seu número de ordem, muitos são os nomes que deram a esse jogo, há quem lhe chame a macaca, ou o avião, ou o céu-inferno, também podia ser roleta ou glória, o seu nome mais perfeito ainda será jogo do homem, assim de figura parece, com aquele corpo direito, aqueles braços abertos, o arco de círculo superior formando cabeça ou pensamento, está deitado nas pedras, olhando as nuvens, enquanto as crianças o vão pisando, inconscientes do atentado, mais adiante saberão o que custa, quando lhes chegar a vez." Que lindo!

    ResponderExcluir

Prezado leitor, em função da publicação de spams no campo comentários, fomos obrigados a moderá-los. Seu comentário estará visível assim que pudermos lê-lo. Agradecemos a compreensão.